quarta-feira, setembro 20, 2017
Home » Artigos » Silicio está com os dias contados

Silicio está com os dias contados


A Lei de Moore prevê que o número de transistores deve dobrar a cada 18 meses. Mas isso está cada vez mais difícil: como explica o New York Times, não só os chips precisam de mais transistores, como precisam ligá-los e desligá-los de forma eficiente. E para alcançar isto no futuro, o silício não basta. O que fazer, então? Criar processadores com nanotubos de carbono.

A reportagem do New York Times, traduzida pela Folha, explica tudo em detalhes e revela que “existe um consenso crescente, entre engenheiros e executivos da indústria, de que os dias do silício estão contados”. O futuro dos processadores pode estar nos nanoeletrônicos, circuitos construídos em escala molecular.

Um destes circuitos está sendo feito hoje mesmo por Max Shulaker da Universidade Stanford: ele trabalha em protótipos de processador onde os circuitos são feitos com nanotubos de carbono. E o processo de produção é bem incrível:

Para produzir os protótipos de chave, Shulaker primeiro faz crescer quimicamente bilhões de nanotubos de carbono – cada um com espessura de 12 átomos – numa superfície de quartzo. Ele os cobre com uma película ultrafina de ouro e depois usa um pedaço de fita – como um removedor de bolinhas de roupa – para coletá-los manualmente e transferi-los suavemente a um wafer de silício. A diferença é que, pela primeira vez, os circuitos não são gravados com ondas de luz; em vez disso, ao menos em parte, eles se “automontam”.

Shulaker reconhece, no entanto, que esta tecnologia “ainda tem seus problemas”. Mas ela terá tempo de se desenvolver, e com certeza ela não é a única: o New York Times também comenta os esforços da HP Labs em criar uma alternativa às memórias flash e RAM com nanoeletrônicos. O texto está bem interessante, e vale a pena ler na íntegra, e em português: [New York Times/Folha]

creditos: http://www.gizmodo.com.br/conteudo/os-dias-do-silicio-estao-contados-como-sera-o-futuro-dos-processadores/

Sobre Diego Duarte

Diego Duarte Atua como coordenador de NOC, toca um violãozinho nas horas vagas e tenta eternamente entender o que o fez escolher TI

Veja também!

Aol quer reinventar o email com ALTO

  A AOL iniciou as primeiras operações do Alto, um novo gerenciador de emails totalmente …

Este artigo lhe foi útil? comente e ajude outros acrescentando seu ponto de vista!